Seria Cisne Negro A Adptação Ocidental De Anime Que Queríamos?

rsz_black-swan-perfect-blue-featured__span

Antes de pensar que esse texto está atrasado 4 anos, segura aí! A discussão aqui vai para um caminho um pouquinho diferente. Mas a questão é essa do título, mesmo: Cisne Negro é uma adaptação de Perfect Blue? E é a adaptação que queríamos?

É inegável que existem semelhanças entre Cisne Negro e Perfect Blue. Tanto o é que quem viu os dois filmes e sabe que o diretor do filme ocidental, Darren Aronofsky, comprou os direitos do filme do Kon invariavelmente pensa “ah, agora sim tudo faz sentido”… até saber que essa compra teve o intuito de, na verdade, usar uma cena idêntica à cena da banheira de Perfect Blue em Réquiem Para Um Sonho. E é sempre estranho pensar nisso. O Tarantino está aí há décadas usando os mesmos planos de cenas de diversos filmes e montando uma obra própria, autoral e coesa e as pessoas acham isso ótimo, uma homenagem incrível e fidedigna que o cinema poderia até fazer mais. Até em relação aos filmes do Kon, A Origem (Inception, em inglês) refaz uma ou duas cenas de Paprika e até tem uma premissa parecida. E no cinema em geral, o público, a crítica e a mídia encaram esse tipo de situação como uma referência, que quase invariavelmente é vista com bons olhos. Então comprar os direitos para usar os mesmos planos de uma cena…

Perfect Blue x Requiem Para Um Sonho

Perfect Blue x Requiem Para Um Sonho – A cena da banheira de Perfect Blue usada em Requiém

Paprika x Inception

Paprika x Inception – A cena dos espelhos de Paprika em A Origem

Faccia a Faccia

Cena de Faccia a Faccia usada em Django, quando o protagonista faz seu primeiro trabalho como caçador de recompensa

Bem, é claro que isso fica mais estranho quando você sabe que o diretor americano tem um amplo conhecimento sobre PB (uma sigla charmosa, mas que vou evitar usar, prometo) e que as semelhanças entre este e Black Swan são… gritantes. Desde o fato mais superficial, que é a semelhança dos nomes das protagonistas, Nina para Cisne Negro e Mima para Perfect Blue, até semelhanças em plot points do arco das personagens que são bastante profundos, como o fato de ambas terem um twist de personalidade ligados ao corrompimento sexual. A personagem idol tem um breakdown logo após a cena de estupro que grava para o drama no qual ela é personagem, enquanto a bailarina deixa de ser uma “garota no corpo de uma mulher” (palavras do próprio diretor) na cena de sexo com a personagem rival, que até onde sabemos pode também nunca ter acontecido, assim como o estupro falso encarado como verdadeiro pela Mima. E as semelhanças são infindáveis.

O conflito de ambas as personagens gira em torno da pressão que elas têm em sua profissão, profissão esta que tem uma imagem pública bastante glamourizada, mas que ambos os filmes fazem questão de mostrar seu lado mais sujo. Os character developments seguem pelo caminho de mostrar uma loucura crescente. Inclusive, muitas alucinações são iguais, com os mesmos símbolos visuais. Os quartos de Nina e Mima passam da mesma forma o aspecto de “garota no corpo de mulher” e ambas se veem em reflexos e em fotos que se mexem em uma imagem de si, julgando a pessoa que elas estão se tornando. Elas também contam com uma imagem materna que falha em sua respectiva carreira e coloca a pressão do sucesso em cima das “filhas”. No caso da Nina é a mãe que deixou o ballet para ter a filha, no caso da Mima é a imagem da sua produtora, Rumi, que era uma idol antes dela, até sair dos holofotes.

tumblr_lfdw755fGj1qdiwuoo1_1280 tumblr_lfdw755fGj1qdiwuoo3_500 tumblr_lfdw755fGj1qdiwuoo7_500 tumblr_nbg863JkBK1tw5xbqo1_1280

E, claro, o Aronosfsky nega a influência do filme do Kon.
Nada surpreendente, para falar a verdade.

Ok, até aqui você possivelmente já sabia de muita coisa (mas ainda espero ter adicionado algo à você, caro leitor). Mas a pergunta principal é se Cisne Negro é uma adaptação. Só que o que diabos seria uma adaptação? Ou melhor, o que seria uma adaptação de um filme que já existe… e o que não seria? Segundo um verbete safado qualquer, adaptar é ajustar uma “coisa” para ser outra. No âmbito de adaptação cinematográfica, seria a realização de um filme com o uso de um material ficcional previamente publicado.

Tem-se adaptação de todo tipo: de época, de cultura ou, o que é mais comum, de uma mídia diferente. O Robocop de 2014, por exemplo, é uma adaptação do argumento do filme de 1987 que em vez de mostrar a violência de forma grotesca, o que era uma abordagem temática mais conveniente à década de 80, mostra de forma metalinguística como a mídia “limpa o sangue da tela” quando lhe é conveniente. Nesse caso, a adaptação se declara como tal, mas será que só quando o diretor/produtor/estúdio/etc. admite o uso de um material prévio como fonte é que a obra vira uma adaptação? Dragon Ball Evolution é declaradamente uma adaptação de Dragon Ball para o cinema ocidental, mas as únicas características semelhantes são os nomes dos personagens, o vilão, as dragon balls e as técnicas com ki. O próprio Perfect Blue do Kon é uma adaptação declarada de uma novel homônima que trata sobre… um detetive com seu cachorro… investigando um assassinato… de um jogador de baseball? Se criticar o filme de Dragon Ball Evolution como adaptação é chutar cachorro morto, denotar como o filme 97 do Kon é abstrato no quanto ele adapta do material original é muito mais.

robocop1 DBall_2L

Ainda que os últimos dois exemplos pareçam muito menos com o material original do que o filme do Aronofsky parece com o do Kon, eles são considerados adaptação, enquanto Cisne Negro não comumente o é. Então realmente um filme só é adaptação quando se declara como tal? Bem, simplesmente não existe resposta para isso. Segundo o verbete, a resposta é não, mas o significado dos termos não se dá pelo verbete, se dá pelo uso. Ainda assim usamos o termo “adaptação” em geral da forma “correta”, mas aparentemente não buscamos informação para fazê-lo sempre. E por outro lado, para ser uma adaptação é necessário que quem produziu aquilo tenha efetivamente usado um outro material de base. E no fim desse rocambole todo, adaptação cinematográfica virou simplesmente uma terminologia para publicidade. Enquanto é interessante atrair o público de Dragon Ball para ver aquele romance adolescente com poderes, é interessante tratar Black Swan como uma obra autoral e diferente. E o público vai chamar de adaptação automaticamente o que for vendido como adaptação, mas não significa que o seja de fato. Então foda-se! Isso mesmo, foda-se! Não existe uma resposta correta e definitiva para a questão central deste texto. Afinal, como eu vou saber em definitivo que um filme foi adaptado de outra obra ou não? Puta merda! Por que você está lendo isso?

Não. Calma. Espera que a gente vai dar um jeito!

deckards-eyesBem, sempre existiu e sempre vai existir uma luta entre o que um autor/diretor/game designer/etc. quis dizer com a própria obra e o que ele realmente disse. O que ele quis dizer está na mente dele, o que ele disse está na tela, na página ou no que quer que seja. Gosto muito do exemplo de Blade Runner, que na versão do diretor mostra os olhos do Agente Deckard brilhando como os de um androide. Segundo Harrison Ford, que interpreta o personagem, aquilo aconteceu por puro acidente, graças à uma luz que não devia estar ali naquela posição. Mas, bem, está no filme, o que cria um significado através da significante que é aquele brilho levemente avermelhado no centro dos olhos, e ainda faz questão de mostrá-lo no mesmo plano com o brilho nos olhos de uma outra personagem que é conhecidamente uma androide. O Ridley Scott, diretor do filme, talvez não quisesse dizer que seu protagonista era um replicante, mas o fez… ou no mínimo deu uma evidência muito forte ao espectador.

Então mesmo que a mídia, a publicidade ou até quem criou um produto te afirme algo sobre o mesmo, o que importa no final é o que você consome. Com isso em mente, vendo as semelhanças imensas dos filmes em questão no texto, com diferenças pontuais que têm e com uma diferença maior que diz respeito à adaptação, (a profissão, já que ídolo pop no Japão tem uma imagem muito diferente daqui), entendendo o que tecnicamente significa ser uma adaptação e sabendo do amplo conhecimento que o Aronofsky tem sobre PB, você como espectador só precisa juntar as informações e fazer sua escolha. A resposta não é definitiva e talvez mesmo o diretor pode ter adaptado inconscientemente um argumento para o próprio filme, mas você pode montar seus próprios argumentos. Eu, particularmente, gosto de chamar Cisne Negro de adaptação de Perfect Blue porque, além dos argumentos já dados sobre as semelhanças imensas e sobre as diferenças serem necessárias para a adaptação cultural, eu posso pensar que o ocidente fez pelo menos uma adaptação incrível de um anime, coisa que até hoje tem gente procurando sem saber que já existe. Não acho uma constatação definitiva, como disse, mas acredito que eu tenha bons argumentos para sustentá-la.

Black Swan x Perfect Blue

Não sei de quem é a arte, mas resume muito bem ambos os filmes. (e se alguém souber comente, pls)

E ver Black Swan como adaptação de forma alguma desmerece o filme. Ambas as obras têm suas diferenças quando escolhem profissões diferentes para abordar, assim construindo metáforas diferentes. E o Aronofsky não deixa de ser autoral se você encarar seu longa assim. Ele tem uma assinatura de composição de cores bem dual, uma misé-en-scene bem teatral e uma direção bem mais claustrofóbica do que Perfect Blue. Ou seja, é mesmo a adaptação ocidental de um anime com a qual sempre sonhamos. É semelhante onde precisa, adapta o que precisa, trabalha de forma bem original com o que é adaptado e ainda tem uma assinatura autoral forte, além de, claro, ser um filme incrível. O Kon com certeza gostaria se tivesse visto…

Anúncios

2 Respostas para “Seria Cisne Negro A Adptação Ocidental De Anime Que Queríamos?

  1. Não assisti Cisne Negro, mas agora fiquei com vontade, adoro Perfect Blue, hehe.

    E perfeita sua conclusão. A mensagem que o emissor envia e a que o receptor capta são necessariamente diferentes. Não existe certo ou errado, existem interpretações, argumentos – e vale inclusive argumentar contra o auto, o emissor da mensagem.

    De resto, bom saber mais uma forma de tentar apresentar animes a outras pessoas! “Gostou de Cisne Negro? Então acredito que você vai adorar Perfect Blue, experimenta!”.

    Curtido por 2 pessoas

    • Perfect Blue, Paprika e Tokyo Godfathers são os três animes que mais uso para apresentar essa “sub-mídia” para as pessoas. Óbvio que depende muito da pessoa, mas em geral os três dão conta muito bem.

      O argumento pra indicar Perfect Blue é bem esse: “Nossa, você curte Cisne Negro? Nossa, tem uma animação [não pode falar anime] de 97 lá do Japão que o Aronofsky como inspiração pro filme. Vê aí!”

      E assista a Cisne Negro, é excelente! Ele até consegue ser mais rico visualmente do que o filme do Kon.

      E obrigado, é claro, haha!

      Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s