Uma Visão Psicanalítica (Freudiana) de Boku no Pico

Post - Pico

Oi, sim, oi, não tenho nenhuma ideia para uma apresentação melhor, mas alguns me chamam de Zeferino, costumo passar meu tempo pesquisando entre muitos temas a psicanálise (freudiana, não a ciência contemporânea), mas não sou nenhum psicólogo, no máximo um pseudo-manjão, atualmente me interessei por esse tema  e queria escrever algo sobre o meu entendimento que talvez esteja falho. Então se você discordar ou perceber qualquer erro de interpretação me avise e estou disposto a melhorá-lo, a fusão estranha entre isso e a obra que vou abordar nasceu do comentário de um amigo sobre porque diabos alguém fez um anime tão sem sentido e sobre o porquê de muitos dos envolvidos serem hoje até bem reconhecidos no mercado, então assim nasceu a visão psicanalítica de boku no pico, acreditem tive de ver os outros dois ovas pra escrever isso(quase arranquei meus olhos), mas espero que gostem….ou pelo menos não odeiem. 

Talvez essa música ajude leitura do texto:

 Sei que  parece estranho um texto  com esse tema, na verdade é estranho de um certo ponto de vista, porém para tentar fazer algo diferenciado de reviews os quais me considero incapaz de concluir pois acabo levando muito em conta minha própria opinião no julgamento da obra( quem sabe um dia eu consiga), mas  esquecendo um pouco meu ego partamos para o porquê de tão inusitado tema. 

  Muito se ouve na internet sobre essa marcante e depravada obra chamada boku no pico, que além de já contar com o tema lolicon que não é bem visto nem ao menos no Japão, ainda aborda homossexualidade sem a menor delicadeza, muitas cenas de boku no pico são de natureza explícita e podem causar desconforto em muitos dos espectadores, além de fazer um forte questionamento sobre a pedofilia. 

831

  Como alguém que já assistiu os tão repudiados ovas (eu não me orgulho disso), me acho em dever de lançar uma visão mais profunda da série (se é que da pra ser mais profundo que aquilo), pois me parece que as pessoas que já assistiram ou pelo menos ouviram falar sobre as “aventuras” de pico acabam que por criar uma imagem única e encravada da história, a de um puro menino corrompido por um homem mais velho e induzido a ações libidinosas, logo depois esta criança cuja a infância foi roubada, acaba por incentivar seus jovens colegas a fazerem o mesmo, embora isso não seja verdade em relação a Coco, mas falaremos disso depois. Creio que um grande fator formador da aversão seja a visão de criança pura que temos em nossas mentes, ah mas não me leve a mal, não estou dizendo que isso é ruim, ver crianças como seres frágeis e puros também pode ser considerado um fator imprescindível na evolução humana pois ajuda a garantir a preservação da espécie, sendo que os seres mais fortes e desenvolvidos tem de garantir a sobrevivência da próxima geração enquanto esta ainda não entende completamente o mundo e mesmo que não de todo incapaz perde em experiência de vida para muitos outros já formados socialmente.

O que proponho aqui não é uma análise da obra em geral mas sim uma visão psicanalítica dela e em especial  dos personagens , para me ajudar nisso vou buscar apoio em algumas teorias de Freud sobre a sexualidade e na própria psicanalise em si, ao mesmo tempo tentar fazer com que você perceba que mesmo em uma história tão aparentemente sem camadas inferiores, pode-se extrair algo mais.

an_anatomy_of_addiction_sigmund_freud_cokehead

 Comecemos então pelo tema que tenho abordado sutilmente aqui até agora, sexualidade infantil, como já disse temos a imagem fixada de ser assexuado em relação as crianças mas esta imagem não poderia estar mais errada segundo Freud, desde nosso nascimento nossa sexualidade já  se mostra presente e esta nos acompanhará durante toda a vida ao mesmo tempo que nos ajuda a nos posicionarmos socialmente, embora todos comecemos como mulheres nos primeiros meses de gestação, o que fez Sigmund Freud teorizar que os seres humanos são naturalmente bissexuais sendo que os fatores que geram a discrepância só se apresentam depois, justamente durante a infância onde temos diante de nós o famoso complexo de édpo onde a criança se vê apaixonada pela mãe já que até pouco tempo e ainda na amamentação ela via sua progenitora e seu seio como parte de si mesma, logo em seguida a diferença entre meninos e meninas começa a se mostrar como por exemplo pelo fato de um amor (me refiro aos impulsos aqui) entre menina e a mãe ser naturalmente impossível pela ausência de um pênis e os fatores adicionais como brinquedos diferenciados, roupas e etc. Já os meninos obviamente  não esbarram com esse impedimento e passam a ver os pais como rivais, isso se torna forte na formação de seu caráter, e dito isso acredito que já seja possível refletir sobre as divergências sexuais de Pico.

tumblr_mp2yxe4X0s1rcqu9ao1_500

O jovem Pico embora seja um menino, tem uma aparência exageradamente feminina e não só isso, no ova ele aparece utilizando de roupas que não ajudam a diferenciar seu sexo e até mesmo utilizando roupas femininas, esse é aparentemente um hábito de alguns pais no Japão, o de travestir seus filhos quando estes ainda não se encontram completamente formados (embora eu não entenda o porque), esses fatores podem ter levado Pico a apresentar dúvidas sobre seu sexo. Voltando mais um pouco sobre sexualidade infantil, que aparentemente é tema decorrente nesse texto, gostaria de acrescentar que o complexo de Edpo não é a única manifestação dessa sexualidade na infância, também pode ocorrer de o menino ou a menina direcionar um amor consciente ou subconsciente  a uma outra figura mais velha seja essa masculina ou feminina. 

194574-36-4725

 Partindo agora para um outro personagem relacionado diretamente a Pico, o jovem Chico que embora já lembre mais um menino e não tenha alguns dos questionamentos de Pico se encontra por ter um desejo reprimido pela irmã mais velha ( isso nos mostra o exemplo que dei anteriormente sobre direcionamento de sentimentos) e que é redirecionado a pico logo depois, em uma espécie de descoberta sexual que pode ser apresentada em jovens na puberdade através da masturbação ou mesmo experiências mais reais com seus coleguinhas( o famoso: eu te toco você me toca), por fim, embora a extrema timidez seja um fator agregado ao povo japonês o que nos leva a duvidar de uma situação assim, vale lembrar que por viver em local isolado, Chico se encontra muitas vezes nu, o que vai contra forma convencional de convívio social e pode ter feito com que Chico tenha dificuldades de perceber o que a sociedade considera ser depravação. 

Coco

 Agora falemos de Coco, que aparenta entender melhor Pico e sofrer das mesmas dúvidas pela aparência feminina, porém diferente de Pico, chama atenção o fato de Coco parecer viver sozinho, enquanto Pico e Chico ainda tem parentes mostrados na série,  Coco não tem ninguém e é sempre mostrado nas ruas ou no que parece ser  seu  esconderijo me faz pensar que talvez ele tenha fugido por ter sofrido abusos sexuais (mas isso é mera especulação), Coco aparenta ter alguns problemas de personalidade, sendo que  parece estar alheio ao mundo no início do ova e durante o resto com uma espécie de sorriso estático, na cena em que aparece, todas as luzes da cidade se apagam deixando somente aquelas que revelam sua presença e logo em seguida ele começa a se despir e revela seu corpo, da perspectiva do espectador não é possível ver o sexo de Coco, tal cena me parece usar de simbolismo para como o mundo o vê como uma garota, sendo que quando ele está nu é difícil vê-lo mas quando ele mergulha na escuridão e suas partes voltam a ocultar-se, as luzes da cidade voltam a se acender, claro que isso é apenas uma conclusão superficial e tenho certeza que poderia chegar a uma melhor se eu visse de novo(mas eu não vou, nunca mais). Ele mostra mais de um tipo de fetiche, como por exemplo prazer ao ser observado, sexo em lugares públicos e múltiplos parceiros, é importante lembrar que os fetiches podem ser associados a lembranças de eventos que acontecem na infância e o fato de isso já ser apresentado  nele reforça meu pensamento de uma ação sexual muito mais prematura do que a dos outros, o que pode influenciar seu comportamento pelo restante da vida

31140-tamotsu__2_

  Finalmente chegou a hora de falar sobre ele, o pedófilo odiado por muitos  e famoso coadjuvante  do primeiro ova de Boku no pico, sim, vamos falar de Mo-kun, você deve estar se perguntando porquê inverti a ordem e deixei para falar dele por ultimo, a resposta é simples, para poder explicar melhor o que construiu seu personagem,  muito se fala hoje em dia sobre as aberrações que são os pedófilos e não estou defendendo pedofilia aqui, meu objetivo é meramente dar uma visão mais ampla do caso, mesmo em meados de 1900 já se estudava quais fatores levavam um ser humano a apresentar este perverso desejo e como quase todos os argumentos aqui postos foi na psicanálise que uma hipótese mais promissora foi composta, enquanto muitos tentavam atribuir razões físicas e de habitação, a psicanálise voltou-se mais fundo na mente humana e empregou isso a um distúrbio decorrente da falta de um limitador de impulsos, impulsos que na verdade todos os seres humanos podem conservar em seu interior, já que não é atribuída somente a homens, um bom exemplo é o caso da irmã mais velha de Chico que descobre de suas relações com pico e se sente excitada por isso, o que me leva a questionar se ela sabia   que era observada pelo irmão mais novo e  conservava esse fetiche, mas neste caso em especial ela ainda tem um limitador que a impediu de ter relações com o irmão mais novo e a fez voltar esse desejo para uma atividade masturbatória.

Sem título

 Sobre o fato de todos os seres humanos terem desejos desse tipo em seu interior, não estou dizendo que somos um bando de pedófilos, apenas que a mãe natureza conserva em nós um desejo pelo sexo oposto (a aparência feminina de Pico pode ter bagunçado os pensamentos de Mo-kun), e que a convivência social atual nos diz que crianças são puras e é errado ceder a isso (de fato é), mas volte-se a séculos atrás quando homens de 30 ou 40 anos podiam tomar meninas de 10 como esposas, ou padres e sacerdotes mantinham relações com alguns de seus pupilos (meio que isso ainda acontece, mas deixa pra lá), o próprios romanos em sua sociedade vista como libidinosa mantinham muitos fetiches curiosos a nossa interpretação  e na Itália muitos artistas eram suspeitos de serem amantes de seus aprendizes mais novos, tendo um panorama completo nos vemos diante de algo realmente polêmico, entretanto embora eu tenha dito que a Freud  tenha formulado uma boa hipótese, ainda permanece nebuloso o que realmente acontece na mente de um pedófilo e na própria mente humana em si, mas é possível que sua origem tenha fonte em uma experiência prematura de sexo ou uma má transferência de algo tão traumatizante quanto, gerando esse sintoma deplorável, tudo isso me faz pensar se na verdade o próprio Mo-kun não possa ter sido o primeiro a ser molestado nessa história pois temos em vista uma personalidade neutra e avoada que possa nos dar indícios de um abuso infantil, do qual talvez nem ele lembre pelo fato de as memórias da infância serem quase inacessíveis a muitos de nós e quem sabe Pico ou Coco não se tornem os próximos Mo-kuns, de mais um episódio do polêmico, depravado e intrigante Boku no Pico. 

don-amp-039-t-watch-boku-no-pico_o_2284667

Para encerrar este breve embate dobre o qual você tem total liberdade para refutar ou contradizer, não quero que minha tentativa de buscar um significado nos atos expressos na série através da controversa psicanálise seja confundida como uma espécie de apoio ou mesmo defesa a  pedofilia,  embora eu tenha dito que a sexualidade está sim presente na infância isto ocorre por motivos de adaptação e evolução psicológica, corpos de jovens não estão preparados para adentrarem no mundo “adulto” e induzir crianças a tais ações é um crime justificadamente repugnante não importando  a razão, gostaria de agradecer se você leu até aqui e perguntar se lhe agradariam mais textos como esse, por fim encerro com minha pseudo ciência e um el psy congroo.

Música pra colocar um ponto final nessa parte:

Segue em anexo um texto que pode lhe tirar algumas dúvidas sobre as teorias de Freud (ou criar mais):

http://www.portaleducacao.com.br/psicologia/artigos/37887/freud-e-a-sexualidade-infantil#

Anúncios

33 Respostas para “Uma Visão Psicanalítica (Freudiana) de Boku no Pico

  1. Foi uma boa analise, mas a psicanalise esta mais para religião do que ciência, e essa visão dogmática dos fatos criam ilusões e oculta à verdade. Mas parabéns pelo esforço de tentar achar sentido na ilusão.

    Curtido por 1 pessoa

      • há aqueles que acreditam que a psicanálise não é ciência e aqueles que defendem sua autenticidade, honestamente, o único pseudo cientista aqui sou eu, um leigo que aprendeu um pouco pesquisando(coisa que qualquer criança de 12 anos pode fazer), por motivos profissionais tive que fazer uma dissertação sobre a biografia e trabalhos iniciais de Freud, digo que nesse início de fato era algo mais religioso, eram fundadas teorias em cima de teorias e isso honestamente não é aceito como ciência, mas hoje após tantos outros grandes colaboradores a psicanálise, afirmo convicto que psicanálise não é mais como uma religião, ela pode ainda não estar totalmente na área do testável mas é inestimável contribuição a psicologia (por que levar um idiota como eu a sério?) muito do que eu escrevi no texto é exagerado e até forçado pois minha intenção nunca foi ensinar psicanálise a ngm, na verdade se alguém que entenda do assunto quiser escrever sobre os vários erros nesse texto, ficarei feliz em postar aqui, se quiser uma opinião confiável sobre esse assunto, recomendo esse vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=X4zG3owuNxc do autor do livro PSICANÁLISE: da sexualidade à vida social, por fim, sinto muito se ofendi alguém, só queria escrever um texto divertido.

        Curtir

    • (Zeferino) fico muito feliz que vc tenha gostado, mas tenho que confessar que fiz muitas especulações e estou melhorando esse texto para ter informações mais verossímeis e pra que nenhum psicanalítico me mate, vou tentar me aventurar em textos de temas misturados como esse, pq é muito divertido.

      Curtir

  2. Bem, eu nunca assisti boku no pico, só ouvi falar que era algo relacionado a crianças e homossexualidade. Bem agora vejo que é algo bem mais amplo e profundo porém o seu texto me animou tanto em relação ao anime que desejo nunca assistir esse produto de – creio eu – uma mente perturbada por demônios (no sentido figurado, como fantasmas do passado ou dificuldades socioculturais). Aliás gostei muito do texto.

    Curtido por 1 pessoa

    • não sei o que me deixa mais feliz, vc ter gostado do texto ou a gratificação de ter feito alguém tomar a decisão de nunca assistir isso, mas sobre ser algo amplo não posso afirmar com certeza, muito do texto é especulação minha baseada apenas nos primeiros trabalhos de Freud que eram bem incompletos, sobre ser profunda………prefiro não falar sobre profundidade aqui.

      Curtir

  3. Curti muito a análise, é muito original e vai além daquele ”essas crianças do demônio” E eu acho que aí dá pra encaixar também o lance do ego, superego e id, já que o que prevalece nos personagens é o exagero do instinto animal sem as barreiras que a sociedade impõe, ou algo do tipo. Pra finalizar, deixo aqui o meu ℱ de fodástico ( na minha humilde opinião de leitora leiga que só é uma nerdizinha em psicologia, filosofia e seus derivados).

    Curtido por 1 pessoa

    • Bom, somos dois nerdzinhos então, a verdade é que o testo foi baseado nos primeiros esboços de Freud sobre o psicanálise e é bem extremista. mesmo assim fico feliz que você tenha gostado, a idéia desse texto é jogar fora o preconceito inicial e tentar ver além do obvio.

      Curtir

  4. Curti o texto. Lembro que em alguns animes e mangás é comum terem festivais escolares e peças de teatro onde os alunos interpretam papéis do sexo oposto.
    Além disso, no Teatro No os atores fazem a mesma coisa, mas usando máscaras.

    Curtido por 1 pessoa

    • sim, isso é bem comum da cultura, e obviamente não quer dizer que todas essas crianças vão ter dúvidas sobre sua sexualidade, mas imagine que uma criança comece a se questionar pq ela gosta mais de se vestir como o sexo oposto, o que isso quer dizer sobre ela? há algo de errado com isso? essas perguntas são feitas constantemente em hourou musuko e é uma coisa incomum nos animes, tratar esse tipo de coisa como algo não natural, diferente do que a maioria faz.

      Curtido por 1 pessoa

    • sim, a ideia é tentar ver de um jeito diferente, mas é tipo arte abstrata, por mais que eu me empenhe os borrões são só borrões pra mim(eu sou ignorante e esse texto não ta nem perto de ser arte, mas acho que deu de entender a tentativa de comparação).

      Curtir

  5. Então… me formo esse ano em psicologia e legal ver a psicanálise citada.
    Freud de fato vê a criança como um ser dotado de todas as pulsões, inclusive a sexual, e não puro como as vezes se acredita. Mas a questão é que a maneira com que o adulto entra nessa sexualidade natural na criança é que requer cuidado. O máximo que Freud defende na teoria dele é que se respeite que a criança conheça seu corpo e sua sexualidade, mas o que Boku no Pico mostra é um adulto se relacionando sexualmente com uma criança, que mesmo na teoria Freudiana ainda não está pronto pra ter relações sexuais, muito menos com um adulto.

    Deixa eu levantar um ponto bacana dentro da psicanálise: Por mais que todos possuam desejos que vem de seu inconsciente naturalmente, a forma como lidamos com eles vai influenciar muito a nossa saúde mental. Por que? Porque não somos separáveis da sociedade, se existem regras sociais implícitas e explícitas sobre o que é uma vida sexual saudável, estar fora delas trará muitos conflitos que, ainda mais pra uma criança, são dificílimos de se elaborar e tem enormes chances de, ao ficarem mal elaborados, expressarem-se como adoecimento.

    Boa iniciativa trazendo a Psicanálise por aqui, até que me rendeu um bom raciocínio. Amadikneg e Tanaka ❤

    Curtido por 1 pessoa

  6. Ótimo texto, de verdade. Eu vi Boku no Pico hoje, faz muuitos anos que ouço falar mas só hoje tirei um tempo pra ver o anime que já foi usado em tantas piadas que conheço. Escrito de maneira clara e a ótima trilha sonora também! Passarei a frequentar mais esse site.

    Curtido por 2 pessoas

  7. Obrigada! Realmente, um de meus maiores passatempos é tentar entender a mente e o comportamento de diversos personagens que conheço. Essa análise foi muito importante para meu melhor entendimento a respeito dos garotos.

    Mas me restou uma dúvida… Talvez possa entender melhor do que eu, então vamos lá:

    Dentre todos, Coco é, na minha opinião, o personagem mais estranho, misterioso… Eu estou aqui, quebrando a cabeça para tentar entender mais sobre ele. Não apenas sua sexualidade, mas principalmente seu modo de ver o mundo, sua atribuição constante de sentimentos humanos a coisas inanimadas (como os bottons e os celulares). Ainda não estou satisfeita com minha própria interpretação deste personagem, e por isso estou pedindo ajuda a alguém que, aparentemente, compartilha do meu interesse sobre comportamento humano.

    Se tiver alguma conclusão ou teoria sobre ele, e se puder dividi-las comigo, eu agradeceria!

    E se tiver interesse em uma discussão mais aprofundada, sobre essa e outras obras, estou à disposição.

    Muito obrigada!

    Curtir

    • É realmente bom achar alguém q queira discutir o assunto, você está certo quanto ao fato de eu adorar tentar entender os personagens mas não a respeito de eu saber mais do que você sobre o tema, uma das coisas divertidas de escrever foi ter que pesquisar um pouco, estudar e ler os trabalhos e biografia de freud fritou meu cérebro, muita coisa ficou exagerada ou ao pé da letra demais, mas o leigo que eu sou aprendeu um pouco mais nessa época e mesmo hj, a respeito do coco, ele é um personagem bem confuso, aparece com uma cena bem enigmática e não te da resposta alguma, todo o terceiro episódio é bem descompromissado com a lógica, mas ela se vai de vez com alguns dos diálogos de coco, aparentemente ele não tem família e mora na rua, vive uma vida de fantasia, deixando a interpretação um pouco de lado eu diria que é um episódio final padrão cheio de pontas abertas e por falta de tempo pra trabalhar de verdade algo, mas isso é o chute fácil, se quiser as teorias malucas é mais fácil me contatar no facebook pra falar dessas e outras obras, adoraria conversar.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s